Desvendando mitos sobre a gestão de tarefas

Você só é produtivo trabalhando dentro do escritório.

Esse mito persiste mesmo com o número de adeptos do trabalho remoto crescendo cada vez mais. Isso acontece porque muitos gerentes e gestores de RH ainda acham que precisam ficar de olho em seus funcionários para que eles trabalhem. Contudo, uma pesquisa da Universidade de Stanford indica que trabalhar em casa aumenta em 12% o seu rendimento.

O trabalho em home office exige muita concentração e determinação, mas traz vantagens, como maior conforto e liberdade no horário. Nesse caso, cada um precisa avaliar o que funciona melhor para si mesmo.

Nesse caso para se trabalhar home office, recomenda-se um sistema de gestão de tarefa ou equipe para controle e monitoramento.

E-mails são a melhor forma de comunicação entre equipes.

Esse mito que muitas pessoas ainda acreditam. Apesar de serem ótimas ferramentas para comunicação, os e-mails não são a melhor forma de colaboração corporativa. O contato através de uma ferramenta própria de gestão de tarefas é muito mais produtivo, tanto para esclarecer dúvidas e alinhar ações, como para reforçar a interação entre os colaboradores, a troca de ideias em campos de comentários se torna uma forma mais profissional e rápida de comunicação. É interessante utilizar os e-mails para envio de dados e arquivos, mas esta não deve ser a única forma de participação e conexão entre os profissionais.

Atividade é igual a produtividade.

Foi revolucionário quando Henry Ford cortou as horas de fábrica na época para oito horas por dia, muitos líderes empresariais durante esse tempo pensavam que ele era insano, no entanto, à medida que seu negócio crescia, era evidente que os trabalhadores tinham mais tempo livre. Agora, um estudo da Stanford University que compara o número de horas de trabalho com a produtividade encontrou o que a Ford parecia saber em 1926 que mais horas não equivalem a mais tarefas concluídas. O estudo descobriu que mais atividades e mais horas realmente contribuem para o absenteísmo, rotatividade de funcionários e até mesmo problemas de saúde. Ainda hoje, muitos líderes de novos negócios estão sugerindo o corte de horas de trabalho novamente, já que a tecnologia aumentou as habilidades e a produção, tornando, portanto, longas jornadas de trabalho arcaicas e contraproducentes.

 Uma vez iniciado o projeto, deve ser concluído a todo custo?

O grande mito é terminar custe o que custar, saber quando desistir é uma das coisas mais difíceis no gerenciamento de projetos, no entanto, jogar dinheiro em um navio afundando não vai impedi-lo de afundar. Se todas as táticas e estratégias tiverem sido usadas para garantir que um projeto seja bem-sucedido, mas não seja lucrativo ou viável, talvez seja a hora de fazer as malas e encontrar outro produto ou projeto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *